Saiba como funciona a mineração de bitcoins

Computadores espalhados ao redor do mundo formam uma rede interligada, na qual agrupam as novas transações e dão validade a elas. Em troca, são recompensados com moedas virtuais. Tudo protegido pela segurança da criptografia

12-2.jpg

1. Um usuário do sistema envia uma certa quantidade de bitcoins para outro.

 2. Para garantir que a transação seja validada, é preciso que ela seja incluída em novos blocos de dados, que formam uma cadeia protegida por criptografia.

3. É nesse estágio que entram os mineradores, os donos de máquinas que calculam a sequência correta de letras e números correspondente àquela transação específica. Para fazer esse trabalho, é preciso baixar um software específico, que conecta a máquina à rede de blockchain, o banco de dados virtual que dá suporte à criptomoeda.

4. A mineração demanda um grande poder de processamento e gera um alto consumo de energia elétrica. Por isso, é realizada por máquinas de grande capacidade, ou por grupos de usuários atuando em parceria – é o chamado pool de mineradores.

5. É um trabalho de concorrência: quem termina primeiro de calcular a sequência estará gerando novos bitcoins no sistema. E ficará com uma parte como recompensa.

6. Por que esse processo ganhou o nome de mineração? É que essa combinação de letras e números é tão difícil de extrair que é como se a pessoa estivesse procurando metais preciosos numa mina.

7. Realizada a mineração, a transação é incluída dentro de um bloco da cadeia. E, assim, é considerada definitiva.

8. Para voltar a esse bloco e adulterar o registro da transação, seria necessário ter mais capacidade de processamento do que todos os demais computadores envolvidos no processo, juntos. Ou seja: é impossível.

Blockchain Festival