Estatal de energia do Chile adota blockchain

O Comitê Nacional de Energia chileno se tornou o primeiro órgão público a utilizar a tecnologia para registrar dados. A ideia é garantir que os clientes e os distribuidores confiem nas informações transmitidas

8.jpg

O Comitê Nacional de Energia, empresa estatal que provê serviços de eletricidade no Chile, passou a utilizar, em março deste ano, a plataforma Energía Abierta, que utiliza blockchain para prestar contas para os usuários e todos os cidadãos do país.

Blockchain é a tecnologia que deu origem ao bitcoin. Consiste em um grande banco de dados virtual, distribuído pela internet no mundo inteiro, criptografado e validado pelo conjunto dos usuários. Depois de lançadas e aprovadas, as informações não podem mais ser alteradas ou apagadas, o que garante transparência na prestação de contas. Esse é o objetivo do governo chileno ao fazer essa migração.

O portal concentra dados estatísticos, indicadores, mapas, normas legais, estudos e aplicativos do setor energético, com acesso fácil e gratuito. Para garantir a segurança e a transparência do acesso, o Comitê Nacional de Energia passou a adotar blockchain como a base do site.

“A comissão decidiu aderir a essa tecnologia inovadora e utilizar o blockchain como garantia digital, o que vai nos permitir certificar que toda a informação que disponibilizamos não foi alterada ou modificada”, diz Andrés Romero, secretário executivo da empresa chilena de energia. “Com o uso dessa tecnologia”, afirma Romero, “pretendemos aumentar o nível de confiança de nossos acionistas, dos investidores e do público em geral”.

Blockchain Festival