Crescem no Brasil as reclamações de clientes de criptomoedas

O aumento no total de usuários de bitcoin provocou um crescimento no número de queixas registradas no site Reclame Aqui. Em 2016, foram 304, contra 7.229 em 2017. Nesse período, o Brasil se transformou no quarto maior mercado de bitcoin

6.jpg

É natural que quanto mais utilizado um produto, maior se torna também o número de queixas em relação a ele. Foi o que aconteceu em 2017 com o bitcoin. No mesmo ano em que o Brasil se tornou o quarto maior mercado global da criptomoedas em relação ao volume total negociado, o site Reclame Aqui registrou 7.229 queixas contra o bitcoin. Em 2016, foram 304 reclamações.

Os problemas mais comuns registrados pelos usuários são dificuldades para depositar, sacar ou fazer transferências. O site entrevistou 920 pessoas que reclamaram e chegou a um perfil dos insatisfeitos com a criptomoeda:

90% são homens
40% têm entre 30 e 39 anos
32,7% possuem renda de 4 a 10 salários mínimos
40% também investem em poupança
25,9% economizam 10% da renda
43,23% investiram pela primeira vez até 500 reais
34,5% tinham como primeiro objetivo conhecer o produto
76,45% começaram a investir em bitcoin em 2017
Entre os consumidores que reclamaram dos bitcoins, 23,7% estão muito satisfeitos e 30,6% estão satisfeitos. Durante a crise de desvalorização da criptomoeda, a reação foi favorável: 30,3% aproveitaram para comprar novas moedas e 29% preferiram não resgatar o investimento. Apenas 16,7% resgataram o dinheiro, totalmente ou em parte.
 

Blockchain Festival