Cada um na sua: 12 países criam criptomoedas nacionais

A novidade do dinheiro digital está expandindo mundo afora. Em 2015, o Equador foi o primeiro país a lançar sua própria moeda virtual.
Desde então, outras 11 nações seguiram a tendência. Fique por dentro de quais foram

10.jpg

1. Equador: Foi primeiro governo a lançar um sistema eletrônico de pagamentos baseado em plataforma de blockchain, o livro virtual de contabilidade totalmente seguro. A moeda é usada para dar suporte ao uso de dólares dentro da economia do país.

2. Tunísia: O país lançou um sistema de pagamento de contas, taxas e serviços usando uma criptomoeda validada por seu próprio Banco Central. A criptomeda substituiu o e-dinar, uma moeda virtual usada pelo país em 2009, mas que não se apoiava numa plataforma de blockchain.

3. Senegal: Os cidadãos do país podem optar por manter carteiras digitais de criptomoedas, ou contas bancárias com o franco, a moeda local. As duas podem ser usadas ao longo de toda a cadeia econômica do país.

4. Suécia: Os suecos já estão entre os maiores usuários de bitcoin do mundo. Para 2018, aguarda-se o anúncio do lançamento da criptomoeda nacional. Ela está em desenvolvimento pelo governo, que tem o objetivo de abandonar em definitivo o dinheiro em papel.

5. Estônia: Outra nação conhecida por aderir rapidamente a novas tecnologias, a Estônia tem um governo que já usa plataformas de blockchain para armazenar dados. A criptomoeda nacional está em desenvolvimento, mas já tem nome: estcoin.

6. China: O país vem tentando barrar o uso de bitcoins em sua economia – o que é impossível, evidentemente. Mas trabalha, discretamente, no desenvolvimento de uma moeda virtual própria, baseada na tecnologia de blockchain.

7. Rússia: O Banco Central da nação já sugeriu que Moscou não vai ficar para trás nessa onda. Mas os estudos para a criação de uma moeda virtual própria ainda estão em estágio inicial.

8. Japão: Os Jogos Olímpios de Tóquio, em 2020, são o prazo estabelecido pelo sistema bancário para o lançamento da J Coin, a criptomoeda que será largamente utilizada pelos turistas que vão visitar o país nessa época.

9. Venezuela: No meio de uma crise econômica grave, o país vem tentando estabelecer a Petro, sua própria moeda criptografada e virtual. Seria uma forma de tentar lutar contra a alta inflação e a falta de dinheiro em papel.

10. Israel: Para criar um sistema de pagamento mais ágil e reduzir o uso de notas em papel, além de combater a lavagem de dinheiro, a nação trabalha numa plataforma digital completa, que deverá ser lançada em 2019.

11. Dubai: Dentro de alguns meses, os cidadãos e moradores poderão usar a moeda EmCash em todo o sistema bancário do país. A criptomoeda está em estágio avançado de desenvolvimento.

12. Brasil: A criptomoeda nacional ainda não está em estudo, mas o país deve começar a fornecer financiamento, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), usando sua própria moeda criptografada.

Fonte: https://www.verdict.co.uk/bitcoin-countries-digital-currency/

 

Blockchain Festival