Bolsas de Chicago já operam com bitcoin

A Chicago Board Options Exchange (CBOE), a maior bolsa de opções dos Estados Unidos, e a Chicago Mercantile Exchange (CME) passaram a operar com a criptomoeda em dezembro. No início, a procura foi tanta que derrubou seus sites

1.jpg

As criptomoedas estão começando a ganhar seu espaço no mercado tradicional das bolsas de valores. No dia 10 de dezembro de 2017, a maior bolsa de opções dos Estados Unidos, a Chicago Board Options Exchange (CBOE), permitiu a negociação de futuros de bitcoin. Trata-se de uma instituição tradicional e de grande porte. A CBOE acumula um volume anual de negociações da ordem de 1,2 bilhão de dólares. A Chicago Mercantile Exchange (CME) também aderiu às moedas digitais.

“Dado o interesse sem precedentes no bitcoin, é vital fornecer aos clientes ferramentas de negociação para ajudá-los a expressar seus pontos de vista e proteger sua exposição. Estamos empenhados em incentivar a justiça e a liquidez no mercado bitcoin”, afirmou Ed Tilly, presidente da CBOE Global Markets. 


As duas bolsas começaram a negociar contratos liquidados em espécie, com base no preço do leilão de bitcoin, em dólares americanos, cotados na Gemini Exchange, operada por dois empreendedores, Cameron e Tyler Winklevoss, os gêmeos que se tornaram conhecidos ao processar o Facebook alegando participação na criação da rede social de Mark Zukerberg.


É uma aposta de grande impacto para as bolsas de valores. O CEO da Coinbase, a maior plataforma de corretoras de bitcoin, Brian Armstrong, estima que existam 10 bilhões de dólares em dinheiro tradicional, aguardando que instituições mais tradicionais comecem a operar com criptomoedas. É a primeira vez que os Estados Unidos aceitam esse tipo de operação, que fornece uma grande legitimidade para a criptomoeda mais utilizada no mundo.
O começo da operação foi um sucesso. Desde o lançamento do futuro em bitcoin, o site da CBOE saiu do ar, resultado da alta procura pela criptomoeda. Além disso, os preços do bitcoin dispararam e alcançaram a casa dos 18 mil dólares, com um aumento de 21%.

Blockchain Festival