Blockchain para potencializar o comércio

Projeto da IBM em parceria com oito bancos resulta na plataforma we.trade, capaz de aumentar a agilidade e reduzir a burocracia das transações comerciais. O protótipo já despertou o interesse do governo da Irlanda

8.jpg

O que a IBM tem em comum com Deutsche Bank, HSBC, KBC, Natixis, Rabobank, Societe Generale, UniCredit e Santander? Todos estão unidos para desenvolver um projeto de blockchain para o comércio entre diferentes instituições e países. O projeto, inicialmente chamado de Digital Trade Chain, foi rebatizado de we.trade.

A plataforma começou a ser desenvolvida em janeiro de 2017 em parceria com sete bancos (o Santander aderiu depois). O consórcio pretende interligar todas as partes envolvidas em uma transação comercial, dos compradores aos vendedores, passando por todos os intermediários. Utilizar blockchain foi a forma encontrada para aumentar a agilidade e a segurança das transações.

Blockchain é a tecnologia que deu origem ao bitcoin. Consiste numa cadeia de blocos que abriga informações distribuídas por diferentes computadores ao redor do mundo. Para registrar novas transações é preciso que todos os participantes, em conjunto, validem cada uma delas, o que torna o sistema seguro e transparente.

Quando estiver finalizado, a partir do segundo quadrimestre de 2018, o projeto we.trade poderá ser vendido para todas as instituições comerciais interessadas em utilizar um sistema seguro para registrar transações. A plataforma também será acessível por meio de smartphones. A República da Irlanda já se mostrou interessada em aderir, assim que os testes estiverem finalizados com sucesso.

Blockchain Festival