Blockchain oferece novo padrão de segurança para a aviação

Startup Aeron lança um sistema para monitorar todos os registros da aeronave e da tripulação, de qualquer voo realizado no planeta. Os usuários podem participar com suas impressões e é impossível adulterar os registros

6.jpg

Nos próximos 20 anos, a frota mundial de aviões comerciais vai dobrar. É certo que esse aumento vai gerar grandes desafios. A startup Aeron pretende colocar as empresas, as tripulações e os passageiros para trabalhar em conjunto a fim de estabelecer um novo padrão de segurança para esse mercado. Para isso, está trabalhando com blockchain.

A tecnologia descentralizada e criptografada garante que qualquer informação registrada no sistema não possa ser adulterada – na prática, um hacker precisaria ter maior poder computacional do que o do conjunto dos usuários, o que é virtualmente impossível. Por isso, o registro de todos os voos, de todas as aeronaves, de todas as tripulações, poderia garantir o monitoramento totalmente seguro desse mercado.

A Aeron desenvolveu uma linha de produtos, incluindo um aplicativo para o piloto inserir seu histórico e seu registro e horas de voo. Criou, ainda, um outro aplicativo a ser utilizado para as companhias aéreas atualizarem os dados sobre as condições de manutenção de suas aeronaves, e desenvolveu um site para os usuários. Além de informar as impressões sobre os voos em que estiveram, eles poderão, no futuro, comprar passagens utilizando criptomoedas.

“A melhoria da segurança da aviação pode ser alcançada usando tecnologia blockchain”, explica o site oficial da companhia, em versão em português. A tecnologia, argumenta a empresa, “eliminará a possibilidade de perda, distorção ou falsificação de dados vitais do registro, reduzindo significativamente o risco de acidentes fatais. As informações serão transparentes e disponíveis para que as autoridades melhorem a segurança”. Para sustentar a construção do projeto, a venda do token Aeron foi realizada em setembro passado.

Blockchain Festival