O Brasil contra os ICOs?

Responsável pela abertura do Blockchain Festival, o advogado Ronaldo Lemos chama a atenção sobre a postura da CVM em relação aos ICOs (Initial Coin Offerings) em sua coluna na Folha de S.Paulo desta semana. Vale a leitura

ronaldo.jpg

Palestrante responsável pela abertura do Blockchain Festival, o advogado Ronaldo Lemos chama a atenção sobre a postura que a CVM vem tomando em relação aos ICOs (Initial Coin Offerings) em sua coluna na Folha de S.Paulo desta semana.
Iniciativa que funciona como uma oferta pública de ações (IPO), eles vêm crescendo numa velocidade vertiginosa.
Em 2016, ocorreram 30 ofertas, que levantaram 94 milhões de dólares.


No ano passado, foram 884, que captaram 6 bilhões de dólares.
Em 2018, até este mês, foram realizadas 359 ofertas públicas, que renderam quase 3 bilhões de dólares.


Ronaldo Lemos diz que muitas vezes o Brasil se enxerga como uma superpotência econômica, ao comentar a decisão da CVM de punir quem se arriscar a ofertar moedas virtuais sem passar por seu crivo, criando assim barreiras para que os ICOs aconteçam.
Vale a leitura.  

 

Blockchain Festival